Afinal, a LGPD vai de fato “pegar” no Brasil?

LGPD Brasil

Muito ainda se ouve se é realmente necessário se adequar e iniciar a implementação da nova legislação nos processos internos das empresas. Mas essa dúvida deve ser afastada desde já pois, a LGPD chegou, e vai pegar!

O principal interesse do Brasil é o apoio que ele vem recebendo dos EUA para ingresso na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), organismo internacional formado por países que aceitam princípios de democracia representativa e de economia de mercado. O Brasil busca há anos por esse ingresso pois, assim se aproximará dos países mais ricos para ganhar maior credibilidade internacional e atrair mais investimentos.

O sancionamento da LGPD ocorreu em nosso país com um interesse explícito de se moldar aos requisitos necessários para poder ingressar na OCDE e não se abrirá mão da sua efetiva implementação, ainda que isso gere dificuldades para as empresas no momento pois, a recompensa que se está buscando mais adiante promete um crescimento econômico-político indispensável.

Desta forma, todos deverão entrar em conformidade até agosto de 2020 sob o risco de deixarem de fechar importantes negócios, abrirem margem para a concorrência que estiver de acordo ou até mesmo receberem as primeiras sanções aplicadas para se tornarem os exemplos vivos da seriedade com que o mercado tratará a proteção de dados daqui para a frente.

Afinal, com tanto dinheiro envolvido, multas bilionárias, e o Estado podendo abocanhar parte destes recursos, você ainda acha que a LGPD no Brasil não vai pegar?

Sob essa ótica, a LGPD é uma realidade que não pode ser negada ou postergada e a adequação às suas normas, diante da complexidade das tarefas a serem desempenhadas não podem, ingênua e/ou negligentemente, aguardar por uma eventual e ilusória prorrogação de prazo.

Pode ser que de fato ela não seja aplicada de forma tão rigorosa a partir de agosto, pode ser sim que tenhamos um atraso nisso mas nós da Raidbr acreditamos que estar preparado para ela é fundamental e estamos trabalhando de forma preventiva junto a nossos clientes, colaboradores e parceiros, com todos os pilares disponíveis para o setor do TI a fim de evitar que aqueles que acreditam e confiam na gente tenham qualquer surpresa ou prejuízo antes para depois se atualizar e entrar em conformidade.

Afinal, quem resolver assumir esse risco pode cair em uma armadilha, mesmo que tenha a sorte de aparentemente se beneficiar de uma improvável prorrogação, fatalmente se prejudicará no campo da competitividade global e local, especialmente em sua reputação, haja vista a tomada de providências que vem sendo desenvolvida por concorrentes internacionais e nacionais mais diligentes.

Agora que você já sabe alguns pontos de vista sobre a efetivação da LGPD, leia sobre como se adequar a nova lei de proteção de dados, não deixe para última hora.

Comentários

Menu