LGPD: como priorizar a segurança dos dados na sua empresa?

lgpd_segurança_de_dados

Com a chegada da LGPD (Lei Geral da Proteção de Dados) em agosto de 2020 no Brasil, as empresas devem estar adequadas em todos os processos de coleta e tratamento de dados. Dados vazados ou o tratamento inadequado dos mesmos, podem resultar em multas milionárias e muitas dores de cabeça.

Para adequar-se, o processo é bem mais complexo do que muitos imaginam como a compra de um software apenas para estar em compliance.  As organizações em um primeiro momento vão precisar mapear o fluxo das informações desde o recebimento, armazenamento, acessos e descarte em todos os setores

Em um país que em 2017 foi vítima de ciberataques globais onde criminosos exigiam grandes quantias de dinheiro em troca de arquivos, apenas coletar e tratar adequadamente os dados podem não ser o suficiente, pois arquivar os dados em uma nuvem ou um servidor sem uma proteção adequada, pode ser um atrativo para hackers.  As plataformas de tecnologia vão ser primordiais para adequação através de equipamentos e softwares inovadores em relação a proteção de dados juntamente com prestadores de serviço em TI e assessoria jurídica.

É necessário educar o seu time quanto aos novos processos e políticas, como também procurar desenvolver internamente ou terceirizar o cargo de DPO – Data Protection Officer. Esse profissional deve ser o principal contato do seu negócio com o órgão que fiscalizará a lei no país.

Que medidas precisam ser tomadas para proteger dados?

As plataformas que vão ser base neste processo imediato de segurança mínima será a contratação de empresas que forneçam firewall, antivírus coorporativo e backup.

O firewall fará a proteção a ataques para roubo, compartilhamento ou criptografia de dados através de nuvem onde em contrapartida o antivírus fará a proteção em relação as máquinas locais do ambiente.

Para ter uma ISO interna de backup, sugere-se que o mesmo seja local e nuvem para maior eficiência do armazenamento das informações e possíveis desastres físicos.

Busque por empresas com conhecimento em LGDP para que seu investimento seja coeso para defesa em possíveis processos judiciais por perda ou compartilhamento de dados.

Qual o melhor firewall e antivírus?

Atualmente a Sophos é líder em segurança mundial e oferece as melhores soluções para proteção de ponta a ponta dos dados, utilizando técnicas tradicionais e modernas para deter uma ampla variedade de ameaças que surgem diariamente.

Com o portfólio do Next Generetion Firewall os equipamentos conseguem ter todo o controle e bloqueios sobre o que os usuários estão fazendo, atualizações e centralização das informações de matriz e filiais no console de gerenciamento.

Em relação aos endpoints funções e redes neurais de Deep Learning, detecta e previne ameaças em um nível superior através de inteligência artificial para maior proteção dos dispositivos e mobile. Também realiza bloqueios e investigações com adendo nas soluções através de uma única interface centralizada compartilhando inteligência contra ameaças de forma sincronizada, aumentando a proteção e facilitando o gerenciamento.

Como armazenar dados na nuvem de forma segura?

Já existem maneiras de armazenar dados e arquivos na nuvem de forma segura. A plataforma Sophos Cloud Optix que detecta, bloqueia e corrige alterações na rede sejam acidentais ou maliciosas e ainda monitora configurações e logs de usuários continuamente.

O Cloud Optix consegue através de inteligência artificial, detectar padrões de tráfego de rede suspeitos e chaves de acesso compartilhado, além de realizar integrações com as maiores plataformas públicas:  Amazon Web Services, Microsoft Azure e Google Cloud Platform.

O ideal para uma proteção completa é utilizar a segurança sincronizada destas regras e procurar por uma empresa especialista e certificada, que trabalhe com profissionais qualificados em todas as soluções. A Raidbr é referência regional em TI e oferece consultoria, implementação e suporte 24 horas para garantir que os clientes estejam protegidos contra ameaças digitais.

Comentários

Menu