Já calculou quanto custa sua empresa parada?

Com os desafios enfrentados no mundo corporativo, muitas são as casualidades capazes de parar uma empresa. Nessa perspectiva, você já parou para pensar o quanto custa a sua empresa ficar parada? No texto de hoje abordaremos esse assunto e mostraremos como dimensionar esses valores.

Desafios que podem paralisar uma empresa

Alguns fatores externos e internos podem ser os responsáveis pela paralisação de um negócio, e, diante desses desafios, é necessário saber de que forma atuar para conduzir a situação da melhor maneira possível, evitando, assim, que o negócio acabe por ser comprometido.

Assim, dentre essas possíveis causas, estão:

  • Panes dos mais variados tipos, seja nos equipamentos de produção, seja na estrutura da empresa, ou mesmo nos sistemas operacionais;
  • Acidente no ambiente de trabalho, seja com profissionais ou no espaço físico da empresa;
  • Ataques externos nos sistemas operacionais da empresa, como por exemplo, vírus na rede, ataque de hackers, roubos de dados e informações etc.
Como avaliar as perdas na empresa

Então, visando o cenário mencionado no tópico anterior, qual seria o impacto financeiro gerado por essas ações e por tantas outras que não foram mencionadas, mas que podem trazer prejuízos e danos para o seu negócio?

Poderíamos contabilizar nesse período de paralisia os valores correspondentes a:

  • Horas de trabalho interrompidas;
  • Valores com reposição de equipamentos, materiais, produtos e tecnologia;
  • Diminuição das atividades de serviço.

Toda a interrupção de trabalho gera impacto nos processos de produção, vendas e no retorno financeiro da empresa. Isso pode comprometer os rendimentos do negócio, levando a empresa a falência se não houver um bom gerenciamento.

Como manter a empresa mesmo com ela parada

Se a empresa não está funcionando, os valores não entram. Ou seja, não há rentabilidade e nem lucratividade e isso é um impacto desastroso para a empresa.

No entanto, com uma administração adequada dos recursos, esses desastres podem ser equilibrados e as perdas controladas, sem que gerem impactos negativos para o negócio.

Assim, é possível manter a estrutura financeira da empresa ativa até que todos os problemas enfrentados sejam solucionados. Uma dica muito bem aplicada é o uso da tecnologia e de profissionais qualificados para o suporte em TI, garantindo que o seu negócio se estabilize no segmento em que atende sem perder as novas oportunidades de negócios.

Com uma estrutura tecnológica bem desenvolvida, os furtos poderão ser evitados, assim como grandes falhas nos sistemas operacionais eliminando grandes chances de paralisação.

Algumas práticas são imprescindíveis para que a paralisação da empresa não ocorra. São elas:

  • Redundância: é a capacidade de um sistema superar a falha de um de seus componentes, possuindo um segundo dispositivo imediatamente disponível para substituição do dispositivo primário, garantindo a utilização ininterrupta do serviço. As utilizações mais comuns são em servidores, quando ele possui um disco rígido à postos no caso de algum dos outros em uso apresentarem falha, e em rede quando existe mais do que 1 dispositivo de internet: quando um apresenta mal funcionamento, imediatamente o outro assume. Mas isso se estende para outros equipamentos como Firewall e rede elétrica. Isso evita que a empresa pare e se tenha tempo para resolver o problema;
  • Contingência: um plano de contingência é um planejamento de medidas a serem adotadas para auxiliar a controlar uma emergência, assim, é possível diminuir o prejuízo. Por que criar um plano de contingência? Imagine uma situação de desastre natural ou incêndio. Como a empresa deverá agir para sair da situação? Com um plano de contingência será possível minimizar (e muito) os riscos de inoperância dos componentes essenciais de uma operação. Auxilia a equipe a agir em casos inesperados, pois com um plano bem estruturado, saberão previamente como lidar com a situação, sem necessidade de aguardar por instruções. Além, também, de dar visibilidade aos riscos corporativos. Numa infraestrutura de TI, é essencial que se tenha um plano de contingência pois os dados são, após as pessoas, o bem mais precioso que ela possui e isso não pode ser perdido em nenhuma hipótese;
  • Backup: redundância e contingência não importam se a empresa não possuir backup de seus dados. O backup é uma cópia de segurança de todos os dados importantes de uma empresa. É necessário ter uma política de Backup para garantir que que as cópias de segurança estejam disponíveis sempre que preciso. Existe uma normativa que estabelece regras para um backup seguro: o backup é feito localmente em um Storage (equipamento que possui diversos discos rígidos) e este manda os arquivos para a nuvem. Assim, caso ocorra um defeito no servidor, o Storage estará imediatamente disponível para reposição dos dados. Já no caso de incêndios ou desastres naturais, o backup em nuvem estará disponível. Assim, a empresa nunca perderá seus dados e poderá retomar a operação em pouco tempo, sem comprometer dos dados internos e de clientes (o que causaria uma perda financeira enorme).

Ao contar com uma empresa parceira, capaz de garantir produtos e serviços qualificados, as adversidades e incidentes dentro da sua empresa podem ser contornadas, mantendo o fluxo financeiro, sem perder o conceito e autoridade no mercado competitivo.

Entre em contato conosco e converse com nossos especialistas para encontrar a melhor solução para o desenvolvimento da sua empresa.

Comentários

Menu

Ei, antes de você ir, cadastre-se na nossa News, cheia de conteúdos exclusivos sobre Segurança Digital 360º.

Clique aqui para ler nossa Política de Privacidade

Esse site usa cookies

Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência possível. Ao continuar navegando entendemos que você aceita nossos termos e condições Política de Privacidade .