[]

Black Friday: 5 dicas para comprar pela internet e proteger seus dados pessoais

Proteção na black friday

A Black Friday está chegando e muitas lojas online já estão divulgando seus descontos e promoções. É importante ressaltar que nesse período, não são apenas os vendedores que estão à procura do público potencial. Segundo dados da pesquisa realizada pelo Ebit, em 2019 a Black Friday brasileira deve ter faturamento 18% maior do que no ano passado, chegando a R$ 3,07 bilhões. Em meio às promoções surgem as dúvidas de como se proteger ao comprar e vender pela internet. Em meio a supostos descontos imperdíveis do evento, os usuários podem agir por impulso e realizar péssimos negócios.

5 dicas para se proteger na Black Friday

  1. Cuidado com as redes abertas: é preciso tomar muito cuidado ao acessar redes gratuitas de internet em locais públicos, porque não há garantia de que são protegidas.
  2. Confira se o site é seguro: ao escolher o site da promoção, é preciso certificar-se de que está em uma página segura. O símbolo de um cadeado na barra de endereço, do lado esquerdo, é um dos principais indícios de que o site é oficial. Para certificar-se de que o selo é verdadeiro, clique sobre ele e aguarde ser redirecionado para a página original da empresa que disponibiliza o certificado. Escondidos nas sombras, cibercriminosos armados com Trojans bancários estão preparados para roubar dados pessoais e detalhes de pagamentos de compradores online.
  3. Tenha um antivírus: ter um bom antivírus instalado no computador ou dispositivo móvel por onde as compras serão feitas ajuda a detectar sites que contenham arquivos maliciosos, vírus, malwares ou indicação de riscos de ataques de hackers. Por isso, é importante mantê-lo atualizado. Conheça os antivírus que a Raidbr pode oferecer para sua empresa, clique aqui.
  4. Promoções por e-mail: muitas tentativas de fraude chegam através de e-mails falsos com links semelhantes aos sites verdadeiros e que imitam até mesmo a interface. Ao receber um e-mail com promoções, é importantíssimo verificar é o remetente.
  5. Mensagens de ‘phishing’: Antigamente eram restritas aos e-mails, mas agora são também comuns nos dispositivos móveis e são enviadas por meio de mensagens SMS e de WhatsApp. Essas mensagens vêm com links para clicar e oferecem promoções tentadoras. Verifique-os antes de clicar, passando o mouse por cima do link, assim será possível visualizar o link real e revisar se parece legítimo ou não. No smartphone, mensagens SMS e de WhatsApp de números desconhecidos são um importante sinal de alerta, mas também tenha atenção com mensagens de correntes enviadas por amigos ou grupos.

Para vendedores:

Sempre que possível, não negocie fora das plataformas. Em sites que conectam compradores e vendedores, um dos maiores riscos é a comunicação fora das plataformas —principalmente para os vendedores. Um dos golpes mais comuns é a falsificação de e-mails de pagamento. Para evitar essa fraude, o vendedor sempre deve conferir o passo a passo da negociação pelo site, ainda que receba e-mails da plataforma, e nunca fornecer contatos pessoais caso essa seja a orientação do site em que está vendendo.

Os riscos são inúmeros e proteção contra ciberataques é indispensável nos dias de hoje. Quer proteger a sua empresa? Clique aqui e fale conosco. Agora que você já sabe sobre os vários tipos de ciberataque que podem ocorrem, conheça a diferença entre malware e ransonware.

Comentários

Menu