Auditoria Microsoft: como lidar?

auditoria microsoft

A temida auditoria Microsoft assusta muitas empresa, mas nós separamos algumas dicas de como lidar com ela.

Hoje em dia, nos ambientes corporativos é normal existirem alguns softwares quase que fundamentais, como por exemplo o pacote Office da Microsoft, que atualmente tem mais de 1 bilhão de usuários no mundo. No entanto, esse tipo de software só pode ser usado mediante um contrato de licenciamento de uso.

Entretanto, tendo em vista da grande necessidade de utilização no dia a dia, algumas empresas acabam perdendo o controle em relação ao uso desses softwares, resultando em notificação de auditoria, ou revisão.

Vale ressaltar aqui que existem algumas diferenças fundamentais entre os dois processos e em como você deve reagir e gerenciar ambos (saiba mais aqui).   Se você é o responsável por gerenciar o licenciamento dos softwares da Microsoft em uma pequena organização, existe até mesmo um terceiro tipo de solicitação que você pode receber, que seria um convite para “auto certificação” da efetividade das suas licenças, e que elas estão em conformidade com seu ambiente de TI.  

Recebi uma notificação da Microsoft, o que fazer?

Calma, não é preciso entrar em pânico! Na grande maioria das vezes, quando isso ocorre, eles estão lhe dando uma oportunidade de regularizar a sua situação. Para isso, eles enviam uma planilha – PUA – para ser preenchida pelo responsável pela sua TI ou, solicitam que seja instalado um software em sua empresa a fim de que sejam realizados relatórios automáticos das licenças utilizadas. Caso seja encontrada alguma divergência entre as licenças ativas e aquelas constantes junto aos registros da Microsoft, a fiscalização irá indicar que você regularize a situação.

E se a empresa não regularizar estas licenças?

Se mesmo após sua empresa receber uma notificação da Microsoft, não regularizar as licenças de uso que estiverem irregulares, o caso poderá ser encaminhado para o jurídico da companhia, podendo resultar em processos cíveis e criminais, multas indenizatórias que podem chegar a até três mil vezes o valor original do software e, em último caso, até mesmo à pena de prisão de até quatro anos por pirataria.

Caso sua empresa esteja em um lugar ermo e distante, e por isso acredita estar livre da fiscalização da Microsoft, está muito enganado! Hoje em dia, a Microsoft tem um time de fiscalização em todas as partes do mundo. E para completar, a ABES (Associação Brasileira de Empresas de Software) em parceria com a BSA (Business Software Alliance), lançou o portal Denuncie Pirataria, voltado à denúncia anônima de empresas que estão com o uso de softwares irregulares, ou seja, você pode ser auditado em qualquer parte do mundo!

Diante disso, fique atento, invista na sua empresa e na organização de suas licenças, compartilhe com seus funcionários e colaboradores informações sobre a importância do controle e permissões de uso e conte com a Raidbr para manter seu negócio em perfeito funcionamento e de forma regular!

Comentários

Menu